Industria Porno

Falando sobre sexualidade

Inclusão Inclusão Inclusão Na lata! Renata: Como sempre a gente começa o programa se descrevendo para vocês que tem deficiência visual consigam saber como o Dudé e eu estamos no programa de hoje Ricardão: #descrição do cenário: Renata e Dudé estão em pé Ao fundo um sofá encostado na parede de tijolos claros Acima, um quadro com foto de um homem e uma mulher frente a frente em pose escultural a beira mar Tô ligado, esse sofá vai ter história para contar #Fim da descrição

Renata: Dudé, hoje, mantém-se com os cabelos escuros, uns fios um pouco mais grisalhos que eu não tinha observado no último vídeo Ohh! Óculos de grau tirou aquela cara de bad boy de óculos escuros Mantém-se com barba e alguns fios brancos Camiseta regata preta, colete jeans, calça jeans e o velho sapatinho surrado Dudé: E aqui do meu lado temos Renata Lellis com o seu traje sexy esporte fino, pode se dizer assim Renata: Opa! Arrasou

(Risos Dudé: Loira, loiríssima, de coque com um blusinha vermelha e uma saia preta assim mais ou menos na altura do joelho e tamanco Renata: Sandália, Dudé Dudé: Sandália que parece um tamanco Renata: Ok! Sexualidade da pessoa com deficiência Eu, honestamente, não vejo diferença da sexualidade da pessoa com deficiência e da sem deficiência

Agora, Dudé, por que isso é tabu? Dudé: Bom, a teoria que eu carrego em relação a isso é que a pessoa com deficiência ela é sempre vista como uma criatura assexuada Também pudera, né cara? Porque a gente vive numa sociedade em que nos colocam na condição de anjinhos, de santinhos Renata:  Especiais

Dudé:  Especiais, criaturas, nós que precisamos dar o exemplo para o restante da sociedade E em contrapartida o assunto sexo aqui no Brasil ainda tem um tabu muito grande, inclusive em cima daquela questão de que sexo até hoje entre a nossa sociedade é visto como uma coisa suja Então, como que uma criatura angelical vai se envolver com algo sujo Ou como eu, ser mundano posso desejar uma criatura angelical de forma suja? Ou tipo, como que eu posso desejar transar com uma pessoa com deficiência já que isso é uma coisa suja a se fazer com este anjinho de candura Renata: Exatamente

Anjinho (Renata brinca com Dudé) a questão é a seguinte: essa questão da sexualidade começa muito tempo antes com a família Quando nasce um filho com deficiência a família não sabe muito lidar nem com a deficiência e muito menos quando chega na sexualidade Então, isso já não é trabalhado na questão da puberdade da pessoa com deficiência Tem também aquela dúvida: Cadeirante tem relacionamento sexual? Claro que tem Dudé: Claro que tem

Cadeirante tem relacionamento sexual, cadeirante tem prazer sexual tanto no caso do homem como no caso da mulher Existe um outro tabu, que é com relação a limitação física: Ah! Mas o cara tem uma determinada limitação física, então uma determinada posição sexual, de repente o cara ou a mina, não vai conseguir fazer Bicho, até certo ponto isso é verdade, é uma meia-verdade pode se dizer assim Porque, por exemplo, no meu caso dependendo da posição,  se você pegar a página 26 do Kama Sutra De repente eu não vou conseguir fazer porque a posição tem que apoiar uma mão e eu não vou conseguir fazer

Nesse sentindo, a minha limitação física vai restringir em algumas coisas Mas, porém, contudo, todavia, no entanto nada que um pouco de criatividade não resolva Renata: Dudé, então a gente pode resumir o vídeo da seguinte forma: A pessoa com deficiência ela tem desejo, sim Dudé: Sim Renata:  Ela tem prazer, sim Dudé: Siiiiiim

(Que nem o foguetinho do Silvio Santos)  Siiiiim Renata: Ela pode ter relacionamento sexual tranqüilo, certo? De forma tranqüila e normalmente Ok? Galera, pessoa com deficiência é tão igual quanto a pessoa sem deficiência Certo? Dudé:  Resumindo, se você gosta de uma trepadinha, a gente também curte Renata:  Pessoal, valeu

Esse foi mais um INL e até o próximo vídeo Dudé: Até Não, não, não peraí Não acabou ainda não Oh, inscreve aqui no nosso canal, dá o seu like e participa da discussão colocando a sua sugestão, sua crítica, o seu elogio ou a sua observação

Inclusão na Lata Renata: Você está ficando bom nisso Dudé:  É, você viu Ricardão: Créditos em letras amarelas e brancas na tela roxa e embaçada Ao fundo, Renata e Dudé conversam Inclusão na lata, nos siga nas redes sociais